Equipa de cientistas do Instituto Okeanos da UAc ganha financiamento para Expedição ao Mar Profundo dos Açores

117

A equipa liderada pelo Instituto de Investigação Okeanos da Universidade dos Açores garantiu financiamento do Eurofleets+ para tempo de navio de investigação ao abrigo do programa SEA OCEANS, permitindo explorar zonas do mar português nunca antes visitadas.

O financiamento agora garantido pelo Grupo de Investigação do Mar Profundo do Okeanos vai permitir a realização de uma expedição científica para a exploração de zonas desconhecidas da Dorsal Médio-Atlântica, ao longo de 17 dias. A missão foi batizada de “iMAR: Avaliação integrada da distribuição dos Ecossistemas Marinhos Vulneráveis ao longo da Dorsal Médio-Atlântica na região dos Açores” e é liderada por Telmo Morato, do IMAR e do Okeanos que realça a importância do financiamento: “As equipas de investigação do mar profundo em Portugal têm tido alguma dificuldade no acesso a navios de investigação de grande dimensão, que possibilitem trabalhar em águas mais profundas e mais distantes e com os meios tecnológicos adequados. … a oportunidade gerada pelo Eurofleets+ e pela Royal Netherlands Institute for Sea Research para utilizar o Navio de Investigação “Pelagia” nos Açores, durante a primavera de 2021, irá contribuir para avançar o conhecimento do mar profundo em Portugal. Esperamos que os dados produzidos ajudem a conhecer melhor as espécies que habitam o mar profundo dos Açores e contribuir com informação de suporte a políticas de conservação e gestão, nomeadamente no que diz respeito à conservação de ecossistemas marinhos vulneráveis.”

Marina Carreiro Silva, co-líder do grupo de investigação e especialista em corais de águas frias, também do IMAR e Okeanos, refere: “O mar profundo dos Açores esconde uma diversidade de comunidades biológicas única no Oceano Atlântico. A região dos Açores alberga extensos jardins de corais de águas frias e campos de esponjas e é a região com a maior diversidade de octocorais conhecida no Atlântico Norte. Contudo, explorar o mar profundo é ter a certeza que todos os dias descobrimos coisas novas. Por isso o financiamento Eurofleets+ vai possibilitar-nos continuar a descobrir o mar dos Açores e explorar zonas no Norte da região nunca antes visitadas.”

O Ministro do Mar, Doutor Ricardo Serrão Santos, refere que que é muito importante que os cientistas dos centros de investigação nacionais aproveitem as oportunidades para usarem plataformas de acesso ao mar profundo, destacando que “é mais uma etapa do percurso rico da equipa de investigação do mar profundo do IMAR/OKEANOS da Universidade dos Açores, liderado pelos Doutores Telmo Morato e Marina Carreiro-Silva”.

Esta expedição contará com a participação de investigadores de várias instituições nacionais e internacionais, nomeadamente o Instituto Hidrográfico, o CIIMAR da Universidade do Porto, a Universidade de Aarhus (Dinamarca), o National Oceanography Centre (Reino Unido), o GEOMAR (Alemanha), o P.P. Shirshov Institute of Oceanology (Rússia), e a Universidade do Vale do Itajaí (Brasil). Os investigadores esperam que esta missão ajude a efetuar novas descobertas e contribuir para o enorme desafio de melhorar a conservação e o uso sustentável dos oceanos e dos seus recursos.