Dia 23 de outubro, uma equipa de cinco vulcanólogos do Instituto de Investigação em Vulcanologia e Avaliação de Riscos (IVAR) da Universidade dos Açores e do Centro de Informação e Vigilância Sismovulcânica dos Açores (CIVISA), partiu para a ilha de La Palma (Canárias, Espanha) para estudar a erupção do Cumbre Vieja.
 
Nesta missão, vão ser realizados trabalhos de petrologia, nomeadamente a recolha de amostras para análise do material sólido que está a ser produzido, e de estudo dos gases que estão a ser emitidos, quer ao nível da cratera, quer ao nível dos solos em torno do vulcão. Durante os trabalhos de campo, serão tomadas medidas de proteção, tais como a utilização de capacetes na proximidade da zona eruptiva, máscaras integrais para proteger os olhos e a respiração, quer das poeiras quer dos gases, utilização de roupa refletora, assim como de mangas e calças compridas para evitar o contacto direto da pele com o material.
 
Quando este grupo regressar, avança outra equipa para La Palma para continuar novas abordagens de trabalho. Segundo o diretor do IVAR, esta missão constitui uma oportunidade para se aprender a lidar com uma eventual situação semelhante no arquipélago, e que a mesma surge pela relação já estabelecida entre as entidades açorianas e o Instituto de Vulcanologia sedeado nas Canárias. 
 
Esta não é a primeira vez que os vulcanólogos do IVAR/CIVISA participam no estudo de erupções vulcânicas ativas. No passado, já acompanharam erupções noutros vulcões, como do vulcão do Fogo em Cabo Verde, ou do Etna, em Itália, situações que demonstram a qualidade do trabalho que é desenvolvido na Região.
 
Fontes:
Açoriano Oriental
IVAR/CIVISA

Foto: Eva Kubelková, @evis ka